Marcha da Maconha – Rio 2007 » Blog Archive » O Dia – Rio terá marcha a favor da maconha

0

Manifestantes usarão máscaras de Sérgio Cabral, de Gabeira e de Marcelo D2 na Praia de Ipanema no domingo 

Michel Alecrim

Rio – Manifestantes farão uma caminhada na Praia de Ipanema, no domingo, a favor da legalização da maconha. Os organizadores do protesto defendem que a medida reduziria a violência. Desta vez, o movimento incentiva o uso de máscaras para quem não quer se expor. As imagens do governador Sérgio Cabral, do deputado federal Fernando Gabeira (PV) e do cantor Marcelo D2 estão disponíveis em site da Internet para serem impressas. Os três já defenderam a legalização da droga.

O coordenador da ONG Psicotropicus, Luiz Paulo Guanabara, um dos organizadores, afirma que o objetivo do protesto não é fazer apologia das drogas. Não será permitido aos participantes levar maconha. Além de defender o direito de as pessoas fazerem uso da droga, ele argumenta que a proibição estimula a violência.

PRÊMIO PARA FANTASIAS

Além das máscaras, alguns participantes usarão fantasias como disfarces. As melhores serão premiadas. “Muitas pessoas podem ser discriminadas no trabalho ou em casa”, diz Guanabara.

A assessoria do Palácio Guanabara informou que considera a marcha uma manifestação democrática e não vê empecilho para o uso da imagem do governador. A Secretaria de Segurança Pública alerta, porém, que junto às máscaras não pode haver cigarros nem referências ofensivas.

O especialista em segurança Ignácio Cano é a favor da legalização das drogas como forma de combate à violência. “A proibição é um erro da nossa civilização que só gera violência e corrupção. Droga é questão de saúde pública”, argumenta.

Já o prefeito Cesar Maia, que é contra a legalização do comércio das drogas, acredita que a medida só aumentaria a criminalidade. No Congresso, não tramita qualquer projeto sobre o tema. A marcha sai às 16h30.

Psiquiatra alerta para danos à saúde

O diretor da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) João Carlos Dias classificou como “simplistas” os argumentos a favor da legalização da maconha. Segundo ele, a sociedade está sendo informada equivocadamente que a planta é inofensiva. 

“Estudos no mundo inteiro vêm mostrando que o uso de maconha pode desenvolver quadros psicóticos em adolescentes que têm doenças, mas não as manifestavam”, explica o psiquiatra, citando como exemplo a esquizofrenia.

Segundo ele, a maconha reduz a capacidade de memória e concentração, prejudicando o desempenho escolar, e diminui a fertilidade do homem. O uso por motoristas é uma das principais causas de acidentes de trânsito. “Não é apenas questão de liberdade individual”, diz o especialista, que defende o uso de substâncias extraídas da planta no tratamento de Aids, câncer e epilepsia.