Marcha da Maconha – Brasil 2008 » Blog Archive » Tribunal vai à marcha da maconha coibir campanha

0

TRE tem como alvo máscaras, faixas e adesivos de pré-candidatos
Fernanda Thurler

O Tribunal Regional Eleitoral promete fiscalizar a Marcha da Maconha, marcada para domingo, no Arpoador. O TRE quer reprimir o chamado baile de máscaras para evitar que os simpatizantes da liberalização da droga desfilem, principalmente, com rostos de candidatos à prefeitura do Rio, como o do deputado federal Fernando Gabeira, do Partido Verde.

Segundo o chefe da fiscalização do Tribunal no Rio, Luiz Fernando Santa Brígida, a máscara de Gabeira pode ser usada tanto por admiradores, que partilham dos mesmos ideais do deputado, quanto por adversários políticos que queiram prejudicá-lo.

– Ela pode ter um cunho positivo ou negativo para o pré-candidato. Mas, tratando-se de período eleitoral, a irregularidade existe porque, de qualquer forma, ele está se destacando diante dos outros adversários – analisou.

Gabeira não teme

No site da organização da caminhada existem modelos de máscaras de diversas personalidades. Além do deputado federal, aparecem o governador Sérgio Cabral, o ministro Gilberto Gil, Luana Piovani, Chico Buarque, Marcelo D2, Bezerra da Silva e Maria Vergueiro, atriz do curta Tapa da pantera.

– Eu conversei com o juiz do tribunal, e ele está ciente de que a máscara é um artigo que não foi aprovado por mim – enfatizou Gabeira, que não vai participar da caminhada. – Além disso, é um movimento que eu não posso controlar. Qualquer pessoa pode usar para me prejudicar.

Outra candidata à prefeitura do Rio, a deputada federal Solange Amaral (DEM) também não vai estar presente na mobilização porque é contra à legalização da maconha, mas apóia a fiscalização do TRE.

– Droga é um assunto polêmico que mobiliza diversas opiniões. Existem pessoas que defendem a legalização das drogas e fazem disso uma plataforma de campanha. É muito bom que haja fiscalização.

O baile de máscaras é tema de discussão no site da Marcha da Maconha. Os participantes opinam em um fórum em que são sugeridos outros nomes para completar a “turma do sim” à legalização das drogas. Outras figuras sugerdas foram a do cantor Jorge Ben e da jornalista Soninha. O vocalista do Detonautas, Tico Santa Cruz, que também participou do debate, disse que não vai à marcha, mas autorizou a confecção da máscara com o seu rosto: “Amigos, por estar em turnê com o Detonautas, não poderei ir à marcha no domingo. Mas estarei enviando um manifesto que poderá ser lido caso achem conveniente. Por outro lado, coloco à disposição minha imagem para que possam fazer uma máscara”.

Policiaiamento reforçado

A Polícia Militar informou que vai reforçar o policiamento na orla, que já recebe uma atenção maior nos fins de semana. Policiais do serviço reservado da PM vão garantir a segurança dos manifestantes. A expectativa é de que a caminhada do Arpoador ao Posto Nove, em Ipanema, reúna cerca de 700 mil pessoas. Este é o quinto ano em que há a mobilização pedindo a legalização da maconha. No ano passado, também segundo informações da PM, a marcha reuniu 250 pessoas.

A Marcha da Maconha será realizada em mais de 200 cidades no mundo. No Brasil, em sete capitais a passeata está confirmada. Em João Pessoa (PB), Salvador (BA) e Cuiabá (MT) o ato foi proibido pela Justiça.