Marcha da Maconha – Brasil 2009 » Denúncia

0

do Diário do Pará

Até o início do século XX, o país não tinha qualquer controle estatal sobre as drogas que eram toleradas e usadas em prostíbulos frequentados por jovens das classes média e alta da República Velha. Depois de ter se comprometido na reunião de Haia em 1911 a fortalecer o controle sobre o uso de ópio e cocaína, o Brasil começou efetivamente um controle mesmo que paliativo.

Naquele momento, o vício até então limitado aos “grã-finos” dentro dos prostíbulos passou a se espalhar nas ruas entre as classes sociais menos desafortunadas, ou seja, entre os pardos, negros, imigrantes e pobres, o que começou a incomodar o governo.

Em 1921, surgiu a primeira lei restritiva quanto à utilização de drogas como a cocaína no Brasil, passível de punição para todo tipo de utilização que não seguisse recomendações médicas. A maconha foi proibida a partir de 1930 e em 1933 ocorreram as primeiras prisões no Rio de Janeiro por uso da droga.

A partir daí, as leis foram sendo sancionadas à medida que o tráfico avançava com uma velocidade incrível no seio da comunidade brasileira, se instalando nas cidades tanto de pequeno como médio e grande porte.
Leia mais…