Marcha da Maconha – Brasil 2009 » Farol da Barra: Marcha da Maconha pede para legalizar venda da planta

0

do Correio da Bahia

O pôr-do-sol na tarde de ontem (05) foi dedicado à marijuana, à ganja, à massa, à cannabis, ao barro, ao dedo do Hulk ou, simplesmente, à maconha, para quem só a conhece por este nome. De olhos fechadinhos e garrafas de água mineral em mãos para molhar a garganta, cerca de 500 pessoas se reuniram no Farol da Barra para participar da Marcha da Maconha e pedir a legalização da venda da erva.

Ao som do reggae Eu quero botar um, da banda Adão Negro, um dos cartazes resumia os benefícios da maconha: “Cura, alimenta e diverte”. Essa é a opinião do antropólogo Sérgio Vidal, membro da Ananda, coletivo que organizou a marcha. “As drogas fazem parte da história da humanidade, elas sempre estiveram ligadas ao prazer, ao sagrado e à cura”, argumentou.

O coordenador do Grupo Interdisciplinar de Estudos sobre Substâncias Psicoativas da Ufba, Edward MacRae, afirmou que a sociedade resiste em debater o uso da maconha devido a um preconceito histórico. “A maconha foi trazida ao Brasil pelos escravos, por isso a marginalização irracional, mas a maconha não mata, quemmata é o tráfico de drogas”, disse.

Segundo o professor da Ufba Cláudio Lorenzo, que estuda os problemas causados à saúde pelas drogas, fumar maconha não acarreta danos físicos. “O álcool provoca muito mais problemas à saúde que a maconha”, afirmou. Ao pôr-do sol, a marcha se dirigiu ao Farol da Barra, onde foi encerrada, aos gritos de “sabê, eu sou maconheiro, com muito orgulho, com muito amôôôô”..