Marcha da Maconha – Brasil 2009 » Blog Archive » Marcha pela liberação da droga em João Pessoa

0

Ong nacional realiza manifestação na orla para pedir fim da proibição do uso do entorpecente
Alexsandra Tavares

No próximo dia 4 de maio a cidade de João Pessoa viverá uma inusitada mobilização popular: “A marcha da Maconha”, que será realizada no busto de Tamandaré, a partir das 14 horas. Trata-se de um movimento mundial que defende a discriminalização da planta cannabis, ou seja, maconha. Este ano o movimento ocorrerá em 10 cidades brasileiras a exemplo do Rio de Janeiro-RJ, São Paulo-SP, Brasília-DF, Recife-PE, Fortaleza-CE, Curitiba-PR, Belo

Horizonte-MG e Salvador-BA.O site http://www.marchadamaconha.org divulga toda a programação e filosofia dos adeptos da liberação da planta. Várias entidades fazem parte da organização do evento que é realizado em mais de 200 cidades em todo o mundo. Os organizadores estão convocando as entidades estudantis e sociedade civil organizada da Paraíba para participar da mobilização.

Para os adeptos da legalização da maconha a proibição do uso da planta ocorre por causa de interesses de alguns grupos que marginalizam os consumidores da cannabis. No anfiteatro da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) estão ocorrendo reuniões para discutir o assunto as sextas-feiras, a partir das 17 horas.

O Diretório Central dos Estudantes da UFPB ainda não decidiu se vai aderir ao movimento e informou que ainda está discutindo o assunto. Outros integrantes de entidades estudantis são radicais e frisam que não vão participar da marcha.“Defendemos a idéia de que o aluno estude para viver e não se drogue para morrer. Somos contra a marcha e não vamos participar deste movimento. Somos a favor que a polícia ofereça melhor qualidade de vida ”, afirmou Cícero de Sousa Neto, diretor da União Estadual Estudantes da Paraíba.

SAIBA MAIS

A mesma marcha foi feita no Rio de Janeiro no mês passado. Cerca de 250 pessoas, de acordo com a Polícia Militar, acompanharam a Marcha da Maconha que partiu da praia do Arpoador, no Rio. Munidos de faixas, camisetas e um discurso afinado contra a atual política de repressão às drogas, manifestantes das mais diversas idades concentraram-se na orla carioca e seguiram, aos gritos de “tem que liberar a maconha pra plantar”, em direção a Ipanema, onde o ato foi finalizado na areia da praia, em frente ao posto 9. O evento, organizado por integrantes de ONGs e da iniciativa privada, integra um movimento bem mais amplo: o Global Marijuana March, que marca presença em 232 cidades de todo o mundo. .”A atual política proibitiva provoca o aparecimento de um mercado paralelo armado, preços inflacionados e a guerra entre traficantes e policiais”, critica Luiz Paulo Guanabara, coordenador-geral da ONG Psicotrópicus.

Fonte: Jornal O Norte