Marcha da Maconha – Brasil 2009 » Blog Archive » Nota do Movimento Mudança em defesa da Marcha Mundial da Maconha

0

A Marcha Mundial da Maconha é um movimento global pela legalização da cannabis. Hoje a Marcha esta sendo prevista para 10 cidades no Brasil: Cuiabá, Curitiba, Brasília, Belo Horizonte, Fortaleza, João Pessoa, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. Sendo que em seis delas, Curitiba, João Pessoa, Cuiabá, Brasília, Salvador e Belo Horizonte,o ministério publico entrou com liminar na justiça para que a marcha fosse proibida, atitude que faz parte do modelo repressor vigente no Brasil e na maioria dos países. Modelo este ineficaz, que marginaliza e criminaliza o usuário da planta, e não consegue de fato intervir no desmantelamento do tráfico de drogas.

A cannabis está enraizada na cultura de diversas sociedades do globo e segundo o Relatório Mundial sobre Drogas da ONU de 2007, a maconha é utilizada por 3,8 % da população mundial (aproximadamente 160 milhões de pessoas). A criminalização da maconha impede a utilização de seus valores terapêuticos e homeopáticos, favorece o narcotráfico e a violência e dificulta a construção de políticas públicas para o tratamento de usuários e a prevenção.

A hipocrisia do estado brasileiro de colocar a culpa no usuário pela manutenção do tráfico de drogas inverte a ordem de prioridades, e a repressão e autoritarismo falam mais alto do que a discussão sobre respeito das liberdades individuais e os efeitos da droga na saúde das pessoas. Nunca houve casos de overdose causada pela maconha, além do que, a droga é utilizada para tratamento do câncer e da Aids em casos mais graves.

O Movimento Mudança, que está presente nas lutas contra a opressão sobre os estudantes e a juventude, acredita que este debate deve ser feito de forma franca e aberta na sociedade brasileira. È necessário dialogar com a sociedade na perspectiva do uso da cannabis ser visto como um problema de saúde pública e não como uma questão policial, de segurança publica. Mais do que isso, devemos fazer o debate de porque que drogas que são muito mais prejudiciais a saúde, como o cigarro e o álcool, são liberadas e não ha questionamento do estado sobre o seu consumo. A industria do álcool vicia, mata e alimenta a violência em índices infinitamente superiores que a maconha.A diferença é que esta industria é altamente lucrativa, diferentemente da maconha que pode ser cultivada em casa e ter uma cultura artesanal, é mais lucrativa sendo proibida, pelo tanto que o estado gasta com a repressão e pelo milionário e corrupto trafico de drogas.Este sistema só interessa aos grandes grupos econômicos.

A União Nacional dos Estudantes em seu congresso passado aprovou em plenária final a resolução em defesa da descriminalizaçã o das drogas. Neste sentido, apresentamos para ao conjunto dos movimentos que compõem a UNE para que a entidade se pronunciasse em defesa da legalização da maconha e deliberasse pela participação da marcha. Infelizmente não houve consenso, sendo que a maioria da entidade optou em não aprovar a participação na marcha. Achamos que esta posição deve refletir melhor a base do movimento estudantil, e a UNE deve avançar na sua posição em relação à legalização da maconha. Lutamos para viver em uma sociedade que garanta o livre arbítrio e o respeito às escolhas de cada um, uma sociedade que garanta as liberdades individuais. Acreditamos que esta pauta deve ser mais bem debatida no conjunto do ME brasileiro, para que nos posicionemos ao lado dos estudantes e da juventude por um mundo com mais respeito entre as pessoas e direitos garantidos.

Cannabis em doses homeopáticas para curar a Hipocrisia!! !
Por um debate franco e aberto sobre a legalização da maconha e a descriminalizaçã o das outras drogas!!!

MOVIMENTO MUDANÇA